sexta-feira, 28 de março de 2008

Aprendiz VI - Torrontés



Que eu me lembre, foi a primeira vez que provei um vinho feito com esta uva. Segundo o que pesquisei, é a variedade símbolo da Argentina, por ser autóctone - ou criolla, como alguns preferem. Apesar da combinação com a comida não ter sido feliz, gostei muito deste San Pedro de Yacochuya 2007, da região de Salta. Trata-se de um vinho muito interessante, com aromas de pera, maçã e um pouco de maracujá. Na boca tem corpo médio, sabor muito floral, diferente, que me chamou a atenção (uma mistura de jasmim com resina ou almíscar - se é que isto é possível!). Mais para seco do que para doce, como prefiro. Pouca acidez e boa permanência. Acho que teria sido melhor aproveitado se servido com uma receita de tempero mais marcante.

De qualquer forma, foi uma ótima descoberta e vou repetir a dose, procurando provar e comparar Torrontés de outros produtores!
- San Pedro de Yacochuya Torrontés 2007 - Branco
- Yacochuya S.A. - Cafayate - Salta - Argentina

3 comentários:

luizhorta disse...

Torrontés é provavelmente a única uva totalmente argentina, surgida do cruzamento casual de moscatel e criolla chica. A melhor se chama Torrontés Riojana, que é esta usada também em Salta. Este vinho é realmente bom, é do Michel Rolland, o único problema sendo que tem 15,3% de alcool!
Sugiro que vc prove o Alamos Torrontés, o Crios de Susana Balbo e o Quara (também de Salta). Além da deliciosa versão uruguaia dos Pisano.

Rogério disse...

Luiz, sugestões anotadas, obrigado! Vou atrás deles, daqui a 2 semanas, quando voltar de viagem.
Abraço
Rogério
PS. estava relendo o post...estou escrevendo como "eno-chato", né?

Anônimo disse...

Rogério,
Descobri hoje seu blog e gostei muito. Vou experimentar a receita de pure de cenoura, é bem parecida com que faço.
Mas mais um comentário sobre o Torrontés: é um dos poucos vinhos que acompanha muito bem comida asiática - principalmente a tailandesa. Se gosta deste tipo de comida, experimente.Ass: Dídi Brilmann